Especialistas dão dicas para elevar seu potencial e atrair ainda mais atenção no ambiente de trabalho

Pessoas sedutoramente inteligentes passam a sensação de que podem fazer tudo acontecer.

Em uma das cenas da série Casa de Papel, a bandida Tóquio, interpretada pela atriz espanhola Úrsula Corberó, entrega o que mais a atrai em um homem. “Não há nada mais sexy que a inteligência. Gosto quando alguém me deixa admirada, tanto faz se é alto, baixinho, feio ou bonito. Fico com tanto tesão se me falam sobre coisas que não sei…” Assim como a personagem da série famosa, muitas pessoas se sentem imediatamente seduzidas por uma mente brilhante – antes mesmo de notar um corpo musculoso, um olhar arrebatador ou um sotaque charmoso.

Segundo a psicanalista Luciana Saddi, membro da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo, a inteligência gera magnetismo em homens e mulheres por ser uma forma de poder. “Pessoas inteligentes transmitem uma impressão de completude, superioridade e autoconfiança. Como se elas pudessem tudo”, explica. “Quem está ao redor se encanta por esse conjunto.”

Ser sedutoramente inteligente é um aliado e tanto na paquera. Mas essa característica também pode ajudar a alavancar a vida profissional. Quem nunca teve um colega de trabalho que parecia ter a capacidade de sempre fazer o chefe mudar de ideia, convencer clientes a fechar um negócio ou ser um líder natural na equipe? “Aqueles que sabem usar a sedução gerada pela inteligência a seu favor conseguem se comunicar bem e passam uma sensação de que fazem tudo acontecer. Essa imagem é ótima para qualquer carreira”, diz a psicanalista.

E esse dom nem é tão nato assim. De acordo com uma pesquisa chefiada pelo psicólogo britânico Richard Wiseman, da Universidade de Hertfordshire, no Reino Unido, essa mistura de inteligência, carisma e magnetismo pessoal é 50% inata e 50% possível de ser desenvolvida. Confira as dicas dos especialistas para aumentar essa porcentagem no seu dia a dia.

Coloque emoção em sua fala

José Roberto Marques, presidente do Instituto Brasileiro de Coaching, explica que o timbre de voz e a paixão com que falamos sobre algum assunto ajudam a tornar nossas ideias irresistíveis ao interlocutor. “Quando queremos criar um clímax no momento em que falamos sobre o ponto alto de um projeto, aumentar um pouco o volume da voz vai passar uma ideia de entusiasmo naquilo que estamos querendo apresentar”, ensina. “Quem coloca intencionalidade na fala transmite a ideia de que vai investir todo seu empenho para que aquilo que está propondo dê certo.”

Conecte-se com o outro

Outra estratégia para seduzir pela inteligência é dar ao outro uma sensação de conexão e empatia. Na psicologia, há uma técnica conhecida como rapport, palavra de origem francesa que significa “trazer de volta”, “criar uma relação”, como explica Nathalie Ohl, gerente de operações da STATO Consultoria de RH. “Na verdade, é a capacidade de se adaptar a cada indivíduo. Se uma pessoa se comunica com a postura mais inclinada para frente, ela ficará mais à vontade se você se movimentar da mesma forma durante a conversa”, diz a psicóloga. “Quem costuma dialogar sempre olhando nos olhos se identifica mais com quem também conversa olhando nos olhos. É como se fosse um jogo de espelho, que cria um ambiente naturalmente confortável durante um primeiro encontro.”

Despersonalize seu olhar

Para que uma pessoa inteligente se torne ainda mais magnética no ambiente profissional, ela precisa desenvolver uma característica sofisticada: o poder “despersonalizar” seu ponto de vista das situações. “Nossa natureza é julgadora. Temos uma tendência natural a embarcar nas ideias com que concordamos e discordamos de imediato das opiniões diferentes das nossas”, afirma a especialista em carreira Wilma Dal Col, diretora da Right Management.

Quando nos esforçamos para “limpar” nosso olhar das situações para entender o que leva o outro a pensar de determinada forma, favorecemos nosso canal de conexão com essa pessoa e tornamos o caminho mais fácil para que ela fique ao nosso lado. “Isso aumenta nossa capacidade de nos relacionar, cria um espírito de colaboração e participação e seduz.”

Wilma diz que não é tão fácil chegar lá, nem para os mais inteligentes. “Mas nossos comportamentos são como músculos. Fazendo exercícios diários, conseguimos mudá-los e moldá-los da forma que desejamos.”

 

Fonte: https://exame.abril.com.br/negocios/carreira-a-inteligencia-e-magnetica/