Como você reage quando a demanda de trabalho aumenta? O movimento intuitivo é o de tentar encaixar as tarefas extras no expediente, mesmo que ele já esteja cheio de compromissos. Embora seja a alternativa mais viável naquele momento para necessidades de curto prazo, ela talvez não seja a melhor quando se trata de alto desempenho. E o motivo está contemplado no livro “O poder do engajamento completo”, best-seller na Amazon.

A obra de Jim Loehr e Tony Schwartz parte do óbvio para ensinar uma lição valiosa. Não é porque o dia tem uma quantidade fixa de horas que a qualidade da energia alocada no trabalho precisa respeitar o mesmo critério. Ou seja, a forma como os profissionais lidam com as necessidades corporativas pode ser mais decisiva do que o tempo gasto para cumprir uma lista de tarefas.

Abaixo, nós reunimos três dicas publicadas no site The Muse para melhorar a gestão do tempo fazendo pequenos ajustes de percepção no dia-a-dia. Confira:

Saiba a corrida que você vai correr

Não à toa projetos longos e complexos costumam ser comparados a maratonas. Tal qual acontece na corrida de 42 quilômetros, para atingir alto desempenho no trabalho é preciso ir aos poucos, com pausas em momentos estratégicos. Reduzir o ritmo quando necessário para não esgotar a capacidade no meio do caminho. Essa é uma boa analogia para entender, por exemplo, a definição de objetivos para projetos de longo prazo. Quando a meta é muito distante, as pessoas tendem a perder fôlego nos primeiros obstáculos. Por isso, dividir o projeto em etapas pode ser o melhor caminho para aproveitar a energia da equipe e também de cada indivíduo. Afinal, todas as organizações valorizam profissionais estáveis e que são capazes de manter a qualidade de suas entregas.

Entenda o que te move

Parece clichê, mas não é. Profissionais que conhecem a si mesmos têm mais condições de saber que tipo de trabalho os motiva a atingir alto desempenho. É preciso entender que o engajamento está atrelado ao que as pessoas gostam de fazer, e não o que elas fazem por obrigação. Esse aspecto sutil, mas essencial, leva ao conceito do autogerenciamento da carreira, plenamente alinhado com a realidade do mercado de trabalho. Profissionais que conseguem direcionar a trajetória profissional para áreas de maior interesse costumam ter mais chances de evolução.

Faça o ritmo de atletas de elite

Sabe o que une músicos, atores e jogadores de xadrez de elite aos esportistas de alto rendimento? Além do talento, eles têm em comum o estilo de treino: em vez de passar horas realizando exaustivamente a mesma atividade, costumam recorrer a treinamentos mais curtos com intervalos para recuperação, maximizando, assim, a produtividade. Que tal aplicar essa mesma estrutura no trabalho?

A dica é organizar a carga de trabalho em períodos (de 90 minutos, por exemplo) para aproveitar o máximo da concentração. Passado este tempo, faça uma pausa física e mental para caminhar, tomar café, conversar com o colega ou fazer outra atividade curta. Perceba que isso ajudará a recuperar a energia e melhorar a produtividade.