Você tentou, mas percebeu que gerenciar pessoas não é para você. Como você pode fazer a
transição de volta para uma função de colaborador individual – sem afundar sua carreira?
Comece abordando suas crenças sobre essa decisão. Afastar-se de uma função de gerente de
pessoas não significa que você é um fracasso. Na verdade, seria mais prejudicial para você e
sua equipe se você permanecesse em uma função que não gosta, ocupando espaço de alguém
mais adequado. Em seguida, não presuma que você precise se rebaixar. Remover suas
responsabilidades de gerenciamento não significa, necessariamente, reduzir o salário ou um
cargo inferior. Você nem mesmo precisa voltar ao trabalho que estava fazendo antes. Vale a
pena propor uma função ou cargo completamente diferente que reflita o valor que você
agrega à empresa, mesmo se você não estiver liderando uma equipe diretamente. Por fim,
certifique-se de que sua transição não prejudique sua equipe. Se já houver alguém em sua
equipe pronto para assumir a função, ótimo. Caso contrário, mantenha sua rede ativa para
ficar ciente de pessoas de fora com os talentos certos para assumir o seu lugar. De qualquer
forma, desenvolva um plano de sucessão claro para que ninguém fique em apuros.

Dados extraídos da Harvard Business Review
Texto adaptado do artigo: “ You Can Stop Being a Manager Without Sinking Your Career ” de Nihar Chhaya